03
fev

Rélou!! (começamos bem)

Que eu ando mais pra lá do que pra cá, ninguém pode negar. Ainda mais pela data do meu último post. Mas quem é vivo sempre aparece, né benhê?

Estou numa vibe auto-didata. É aquilo de poder aprender o que eu quiser, do jeito que eu quiser e quando eu quiser. Ah! E durante o tempo que eu quiser também. Nada de cronograma de aulas, cursos que levam uma vida pra te prender nas mensalidades e sair de casa na chuva…

Também tem a parte que me tornei revoltada com cursos, depois que fui ridiculamente enrolada com um. Faço há 7 vidas, e só foi literalmente um atraso na minha vida. Enfim, agora que acabou minha historinha, vamos pra minha ideia…

Antes de tudo, benhês: Esta é apenas uma apresentação… Faz tanto tempo que eu tô com esse post em rascunho, que ele estava digitado para “quem quer fazer algo diferente nas férias…”. Copiando esta parte aqui, para dizer que ela foi deletada hahaha 

d1gf5d

Melhor lado: Você faz seu próprio horário, e decide o quanto vai aprender por dia. 

Lado médio (médio, porque não tem lado ruim hehe): Você tem que “se policiar” e pegar para estudar pelo menos um pouquinho todos os dias para não perder o ritmo. É muito fácil relaxar! 

Possível lado ruim (eu disse possível): Não tem quem tire suas dúvidas. Mas para isso, a solução: Tio Google,  conhecem? 

Muita gente aprende inglês sozinho, e a força de vontade é a base de tudo.Então, para quem quer arriscar também, vou fazer uma série de posts para quem também quer aprender inglês sozinho…novas formas de aprender e talvez (eu disse talvez) eu até faça um vídeo. 

Estou me perguntando por que é que eu salvei rascunho desse post? Apaguei tudo, e refiz sem perceber. 

Sempre que tiverem dúvidas e sugestões podem mandar nos comentários. Próximo post iniciando a série, sai ainda hoje =) 

Beijossssss <3

 

04
jan

Primeiro post do ano, começando falando do ano passado. Ok. Bem minha cara fazer isso hahaha. Enfim antes de mais nada, quero desejar um Feliz Ano Novo pra todas(os) minhas(os) leitoras(os)…que seja um ano de conquistas e realizações para todos =) 

Tá aí um momento que eu gosto de olhar para trás: Para ver se cumpri ou não minhas metas do ano. Difícil é lembrar em qual das minhas agendinhas eu anotei, e onde ela está hehe.

Quem é que não faz metas e planos para o próximo ano, que atire a primeira pedra. Pela primeira vez na vida, eu coloquei no papel (em 2013) e encontrei no fim deste ano, para riscar, o que eu fiz e o que não. 

Entrar na Academia 

Bom, pode-se dizer que item riscado. Entrei na academia. Paguei um mês, e fui quatro dias hahaha. Vi que esse papo de malhar não é pra mim. Mas tentei, vai…

– Viajar para algum lugar que não tenha ido antes

É, não foi dessa vez…Só fui para lugares que já tinha ido antes. Nada novo ):

Criar e manter o blog

Blogs sempre foram minha paixão. Sempre tive fotolog e essas coisinhas. Sempre. E minha vontade era o blog agora…Blog criado, e apesar de um tempo de abandono, vem sendo mantido.

Aprender, amadurecer e ficar próxima das pessoas que amo…

Então…Sério que coloquei isso como meta do ano? HAHAHAH Olha, com as besteiras que fiz, e com as surras que levei depois…com certeza item riscado.

Conseguir outro emprego

Eu trabalhava no escritório de uma loja, e gostava muito. Mas, com o tempo fui desejando outro emprego, pelos mesmos motivos de que qualquer pessoa quer mudar de emprego. E graças a Deus, consegui!

– Comprar um carro

Os dois últimos itens foram as melhores conquistas pra mim. E este último, claro que com muito esforço, trabalhando muito e economizando e sofrendo sem dinheiro nem pro picolé durante um tempão hahaha.

Claro que tiveram muitas outras, cumpridas ou não que são pessoais demais pra colocar aqui, vocês entendem né? hehe

E vocês? Também tem o papo da listinha? Me contem :) Beijones

 

27
dez

Já criei, tentei e insisti em tantas formas de te bloquear aqui. Aqui no coração, na cabeça e no meu eu em geral. Você sabe o quanto é difícil lutar contra si mesma todos os dias? Esquecer você. Soa tão simples, deveria ser. Deveria ser tão simples quanto lavar o rosto de manhã para espantar o sono, ou tão simples quanto pegar um pijama depois do banho. Mas é mais complicado que qualquer conta que eu nunca consegui resolver, naquelas aulas malditas de matemática. Eu já devia estar acostumada com isso, mas eu me recuso a me acostumar com esse sentimento que não quero. Não quero ter saudade, não quero ter lembranças, nem quero lembrar do quanto eu gosto do seu beijo. Não quero lembrar do quanto eu gosto do seu jeito, nem do seu cheiro, ou da sua carinha de manhã. Caramba! Já faz tempo mesmo.

Você não poderia estar em outro lugar naquele dia? Você não poderia simplesmente ficar em casa, ou somente não vir se apresentar? É, parece que as coisas são como tem que ser. E eu não acredito, que depois de tanto tempo, de tanta coisa, de tanta mudança, você em mim não mudou.  

Eu já imaginei tantas vezes como poderia ter sido diferente, minha vida, sem aquela noite. E eu sabia, sabia que era você. Como algo sobrenatural. Não parava de querer saber mais e mais sobre você, e não parava de pensar em como tinha gostado de ficar com você. 

Além de imaginar como minha vida seria sem te conhecer naquela noite, já inventei minha história morando em outro país e te esquecendo. Já inventei eu nascendo em outro país e nem sabendo da sua existência – e pareceu ser bom. Já inventei eu simplesmente acordando, e não lembrando quem é você. Tem também a versão de eu conhecer outro cara e me apaixonar loucamente, mas me dá um aperto no coração de pensar que o cara não é você…É, parece que todas as histórias envolvem você. 

02

Só quero acabar com todos os “vocês” possíveis, imagináveis e irreais, e fazer acontecer uma história de verdade. Por onde começar eu não sei, mas com você aqui assim, nada flui…Então talvez aqui esteja o primeiro passo: me livrar de você. Parece que estou apegada ao sentimento de você. Dá uma dorzinha no coração só de pensar em deixar ela ir embora. Mas em todos os meus conselhos amorosos para minhas amigas vem sendo: o primeiro passo é só querer. Depois tudo flui!

Já mudei meu cabelo, já mudei meu estilo, comprei um carro e conheci outras pessoas, mas você é insistente. Quer saber? Hoje, eu não vou começar a mudança trocando de visual ou de país (como em minha imaginação). Vou começar a mudança em mim. Porque você é um visitante definitivamente indesejável, então está na hora de fazer uma faxina. Vou começar por dentro, e bem no meio. As coisas da memória a gente esquece, vai deixando pra lá. A limpeza tem que ser no tal do coração. Ele bombeia sangue pra todo o meu corpo, e não consegue simplesmente tirar essa sujeirinha (vulgo você) dali? Ah, me poupe! Tá na hora de eu tomar uma atitude, porque eu quem mando nessa merda!! Se eu quiser caminhar eu vou, se eu quiser comer eu vou, se eu quiser dançar eu danço. Se eu quiser menos você eu o faço, e se eu quiser esquecer você…

Obrigada por todos os frios na barriga, mas já pode se retirar. Vou começar a faxina.

Este foi um texto antigo que havia escrito há um bom tempo atrás. Achei cômico, e modesta parte, muito bom hahaha. Como já completei a tal faxina, e apesar do título, não vi problema em publicar :) hehe Beijosss <3

25
dez

A dona desse blog mudou. Mas é a mesma. Dá pra entender? A Gabriela que parou de postar aqui há dois meses, (sem dar notícias, eu sei) passou por 60 dias de constantes mudanças. Ela se perdeu na sua própria mente, e teve diversos conflitos consigo mesma.

Agora, voltando a falar na primeira pessoa: oi, voltei! 

Olhando pra trás, dá para ver meus interesses, pensamentos e planos…E olhando daqui, de agora: quanta coisa mudou. Olhando pra frente, bem… não dá pra ver nada. Eu ainda tenho a mesma rotina, meu emprego é o mesmo, convivo com as mesmas pessoas todos os dias e  não conheci gente nova. Só conheci a nova eu mesma. Que vai ter mudado daqui a dois meses também. Ou amanhã, quem sabe? 

002

Me vi em situações que não sabia lidar, e conheci o tal do estresse de uma forma nada boa para um começo: intensa. 

Eu posso ainda não saber o que eu quero fazer de faculdade, ou da minha vida. Eu sei o que eu não quero. Já é um começo?

Chega a ser engraçado o fato de olhar para trás, e ver o quanto eu mesma mudei… de ideia (isso acontece o tempo todo), de cor de batom favorita e até de sonhos. Não sabemos até onde podemos chegar, ou o quanto podemos amadurecer…Não dá para saber nadinha do futuro, e cheguei a conclusão de que isso me assusta pra caramba. Mas deixa eu olhar para o aqui e agora. Sou a mesma menina que sonha acordada, e que quer ganhar todos os sorrisos possíveis. A essência é a mesma. Não sou a mesma de ontem, e talvez eu mude tudo em mim daqui ha 5 minutos. Se tudo isso pode acontecer em tão pouco tempo, imagine o que acontece em dois meses?